Foi detetada hoje de manhã a existência de uma instabilidade no subsolo da Rua de Santos Pousada, a sete metros de profundidade, o que obriga ao corte imediato da circulação automóvel nesta artéria, no troço compreendido entre as ruas do Moreira e da Firmeza. A Polícia Municipal estará no local a acompanhar a situação. 
A situação foi reportada pela empresa municipal Águas do Porto, que durante a execução de uma perfuração horizontal para instalação de um tubo de saneamento na Rua da Póvoa deparou com “a existência de um oco no subsolo a uma profundidade de sete metros”. A deficiência, ao que tudo indica, desenvolve-se até à estrutura do pavimento e estará já a originar abatimentos visíveis na faixa de rodagem.
De acordo com o que foi já possível apurar, não existem indícios que permitam relacionar o vazio no subsolo agora detetado com trabalhos anteriormente executados no local.
De modo a proceder-se à execução de um levantamento técnico para apurar as causas do sucedido, e corrigir-se a irregularidade, é necessário abrir uma vala em toda a largura da faixa de rodagem, numa extensão aproximada de 15 metros.
Por motivos de segurança, impõe-se este corte à circulação automóvel.
A duração da intervenção a realizar-se agora no local depende diretamente do que for i

dentificado.

Facebook
Twitter
Instagram