A Câmara do Porto aprovou hoje por unanimidade um protesto contra o encerramento de balcões dos CTT, pedindo ao Governo medidas para garantir o serviço público de proximidade, mesmo que a empresa esteja a honrar os compromissos da privatização.

A recomendação foi apresentada pela vereadora da CDU na reunião pública camarária, mas a redação final do texto foi sugerida pelo presidente da Câmara, o independente Rui Moreira, tendo levado toda a autarquia a manifestar “o seu protesto face à anunciada intenção de encerramento de mais balcões dos CTT no Porto, atendendo ao serviço público que assim fica prejudicado”.
A autarquia aprovou ainda “solicitar ao Governo que verifique se empresa [CTT] está a cumprir caderno de encargos da privatização e, em qualquer caso, tome as medidas necessárias para que o serviço público, com a sua componente de proximidade, seja garantido às populações”.
Os CTT — Correios de Portugal confirmaram a 02 de janeiro o fecho de 22 lojas no âmbito do plano de reestruturação, abrangendo, no concelho do Porto, dois balcões, um na Praça da Galiza, na zona da Boavista, e outro na Asprela, em Paranhos.

Facebook
Twitter
Instagram