A programação do novo ano do Teatro Nacional São João começa nesta sexta-feira, dia 5, com “The Rape of Lucretia” de Benjamin Britten (1913-1976), compositor britânico que no pós-guerra ousou renovar os cânones operáticos.

A obra, com libreto de Ronald Duncan inspirado no texto dramático do dramaturgo francês contemporâneo André Obey e no célebre poema narrativo de Shakespeare, tem a particularidade de contar com duas personagens coletivas – um coro feminino e outro masculino – que “comentam a ação numa perspetiva cristã, introduzindo-nos na narrativa sobre a castidade de Lucrécia, violada por Tarquínio, o filho do tirano que governa a Roma pagã”.
Este espetáculo, que constitui a mais recente produção de ópera do Teatro Nacional de São Carlos, tem direção musical de João Paulo Santos e encenação de Luís Miguel Cintra.
Com “The Rape of Lucretia”, ao TNSJ regressa não só a ópera, mas também “um compositor que dialoga com as mais altas tradições operáticas, introduzindo-lhes sinais de uma profunda originalidade”.
Além da apresentação de sexta-feira, às 20 horas, “The Rape of Lucretia” sobe novamente ao palco do TNSJ pelas 16 horas de domingo.
Facebook
Twitter
Instagram