A Lipor, empresa intermunicipal de gestão de resíduos do Grande Porto, abandonou o projeto da construção de um aterro sanitário, orçado em 100 milhões de euros, que iria ser edificado em Laúndos, na Póvoa de Varzim.

A informação foi dada hoje por Aires Pereira, presidente da empresa responsável pela gestão, valorização e tratamento dos resíduos urbanos produzidos pelos municípios de Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Porto, Póvoa de Varzim, Valongo e Vila do Conde, apontando que a construção da estrutura, projetada há mais de uma década, “já não se justifica”.
“Atualmente a Lipor só deposita em aterro 1% dos seus resíduos, que é praticamente aquilo que resulta dos rejeitados na central de valorização energética, e para depositar esse 1% recorre a um aterro de outra empresa, não tendo necessidade de fazer um investimento tão avultado”, disse o presidente da Lipor.

Facebook
Twitter
Instagram