Um ano depois do último álbum, em que participou Peter Brotzmann, os Black Bombaim estão de volta com um novo trabalho. Envolve outras três colaborações e nasce com a ajuda do programa municipal de apoio à criação contemporânea Criatório.

 A banda de rock psicadélico/cósmico/exploratório começa na noite deste sábado a revelar o processo criativo do seu oitavo álbum, numa iniciativa que envolve residências artísticas com Pedro Augusto (Ghuna X, Live Low), Jonathan Saldanha (HHY & The Macumbas) e Luís Fernandes (Peixe:Avião).
O concerto, marcado para as 22 horas no Círculo Católico de Operários do Porto (CCOP – Rua do Duque de Loulé, 202), foca-se no primeiro desses três momentos de criação do novo trabalho, que será editado em 2018 pela Lovers & Lollypops. Com entrada grátis mas limitada a 130 pessoas, este ensaio aberto da banda de Ricardo Miranda (guitarra), Tojo Rodrigues (baixo) e Paulo Senra (bateria) é já o resultado da primeira residência artística, ou seja, com Pedro Augusto. Músico e compositor nos projectos Ghuna X e Live Low, Pedro Augusto tem também conduzido um largo percurso na composição de bandas sonoras nas áreas de dança contemporânea, teatro e cinema, colaborando com nomes como Ana Rocha, André Gil Mata, Ana Borralho, João Galante, entre outros.
Seguir-se-ão, já em 2018, eventos semelhantes com Jonathan Saldanha e com Luís Fernandes, ficando então completo o desafio lançado pelos Black Bombaim ao desenvolvimento de uma peça original a ser interpretada, em conjunto, pelo compositor e pela banda.
O projecto, que integrará ainda a edição de um documentário, conta com o financiamento do Criatório, uma iniciativa da Câmara do Porto destinada ao apoio à criação artística contemporânea e que acaba de entrar na segunda edição, estando a aceitar candidaturas às bolsas de 15 000 euros até 31 de janeiro próximo.
Facebook
Twitter
Instagram