A Poesia andou por Matosinhos nos últimos dias com a celebração de mais uma edição da Festa da Poesia.

A programação da Festa da Poesia deste ano iniciou-se já há alguns dias. Pelo terceiro ano consecutivo, a Câmara Municipal de Matosinhos levou a poesia ao grande público, pintando versos a stencil em várias ruas da cidade. Fernando Pessoa, Almada Negreiros, Luís Montalvor, Mário de Sá Carneiro, Filippo Marinetti e Oswald Andrade são os autores da poesia replicada nas ruas na iniciativa intitulada “No meio do caminho havia um verso”.
A Câmara Municipal voltou assim a assinalar o dia 8 de dezembro, como uma forma de homenagear Florbela Espanca, no dia em que se celebra o seu nascimento e morte, organizando mais um evento em que se faz da poesia festa.
Refira-se que desde 2005 que a Câmara Municipal de Matosinhos presta homenagem a esta autora, à sua poesia e à poesia em geral, através de várias atividades como encontros com poetas, lançamentos de livros, música, exposições, performances de poesia, entre outras atividades que contribuem para elevar a poesia.
A Festa da Poesia arrancou na Biblioteca Municipal Florbela Espanca, pelas 15h00, com “Eis-me acordado muito tempo depois de mim”, uma homenagem a Alberto a cargo do poeta e ensaísta Fernando Pinto do Amaral.
Pelas 16h00, os escritores Paulo M. Morais e Isabel Rio Novo disseram poemas cúmplices e amorosos e, mais tarde, houve lugar a leitura de poemas por Diana de Sousa. Pelas 17 horas, entrou em cena o cantor, compositor e poeta Rui Reininho, para uma conversa sobre a sua relação com a poesia que incluiu a leitura de versos selecionados pelo autor de “Sífilis versus Bilitis”.
O programa na biblioteca encerrou com a guitarra e a voz do crooner Rui David, que deu voz e melodia à poesia de autores como Manuel Alegre ou Leonard Cohen.
A Festa da Poesia 2017 terminou pelas 21h30, no Teatro Municipal de Matosinhos Constantino Nery, com um espetáculo da Lisbon Poetry Orchestra: “Poetas Portugueses de Agora” levando ao Teatro Municipal a poesia de uma nova geração de poetas que se tem vindo a afirmar no panorama literário nacional, entre os quais se contam Valério Romão, Cláudia R. Sampaio, Paulo José Miranda e Daniel Jonas. A declamação esteve a cargo de André Gago, Nuno Miguel Guedes, Paula Cortes e Miguel Borges, acompanhados pelo baixo de Alexandre Cortez, pelos teclados de Filipe Valentim, pelo clarinete, saxofone e viola de Luís Bastos e pela guitarra elétrica de Tiago Inuit.

Facebook
Twitter
Instagram