O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, disse hoje que os benfiquistas não podem andar de cabeça baixa e pede para que se orgulhem dos êxitos recentes do clube.

“Nenhum de nós pode andar com a cabeça baixa. Devemos ter bastante orgulho naquilo que fizemos nos últimos anos. A obra está à vista”, disse hoje Luís Filipe Vieira, na Covilhã, onde se deslocou para inaugurar as Casas do Benfica da cidade e a do Tortosendo, vila a poucos quilómetros de distância.
O presidente dos ‘encarnados’ pede que, quando em campo os resultados não forem os esperados, os adeptos se unam.
“Quando desportivamente as coisas não correrem como queremos que aconteçam, é importante estarmos todos juntos e que sintam orgulho naquilo que fizemos”, apelou o dirigente.
Luís Filipe Vieira avisa que não se vai desviar do caminho traçado e sublinha não ser dos que, em função dos resultados, se deixa “arrastar pela situação”.
O presidente do Benfica, que se fez acompanhar pelos ex-jogadores Pedro Mantorras e Ricardo Rocha, sublinhou ser importante “acreditar” e entusiasmou os adeptos presentes com a alusão ao título.
“Que seja um ano glorioso para o Benfica, rumo ao penta”, disse Luís Filipe Vieira.

Saldar a dívida do clube

O presidente do Benfica pretende até ao próximo ano saldar a dívida do clube e informa que não se vai desviar desse objetivo para reforçar a equipa de futebol.
“Nunca irei antecipar receitas para pagar jogadores”, avisou o dirigente encarnado’. “Se tiver de antecipar, só para pagar a dívida”, acrescentou.
Luís Filipe Vieira sublinhou que o Benfica tem “uma componente empresarial muito forte” e que quem dirige o clube tem de ser racional, mantendo a intenção de “continuar a privilegiar os aspetos financeiros”
“Quem lidera o Benfica não pode tomar decisões emocionais, tem de ser muito frio”, acentuou hoje, na Covilhã, onde se deslocou para inaugurar as novas instalações da Casa do Benfica da cidade e a do Tortosendo, vila a poucos quilómetros de distância.
O presidente das ‘águias’ apontou o próximo ano para que se deixe de falar no passivo e para que “o Benfica seja dos benfiquistas”.
Luís Filipe Vieira alertou ainda para a importância dos aspectos financeiros e referiu que não tencionar mudar de rumo.
“O efeito desportivo e o efeito financeiro são, para nós, fundamentais”, realçou o dirigente, que destaca a intenção de durante este mandato “conseguir pagar a dívida do Benfica”.
Para o êxito do clube, o dirigente considerou fulcral também o reforço das infraestruturas, como a ampliação do Caixa Campus, que passará a ter mais campos e um colégio, assim como ter disponível um Centro de Alto Rendimento, o que considera ser um “ciclo virtuoso”, focado na formação dos atletas.

Facebook
Twitter
Instagram