A Assembleia Municipal de Espinho reunida em sessão extraordinária no passado dia 5 dezembro, aprovou com 17 votos a favor e 8 abstenções a permuta de terrenos entre o Município de Espinho e a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Concelho de Espinho.

A proposta agora aprovada apresenta os mesmos termos daquela que foi reprovada no passado mês de setembro.
A proposta sugerida pelos Bombeiros Voluntários do Concelho de Espinho tinha recebido o acolhimento e o interesse da Câmara Municipal. Prevê a permuta de terrenos municipais para a construção de um novo quartel em troca dos atuais edifícios que, antes da fusão das duas corporações pertenciam ao Bombeiros Voluntários de Espinho e aos Bombeiros Voluntários Espinhenses.
A Câmara Municipal compromete-se ainda, nos termos do protocolo celebrado com a Associação Humanitária a garantir uma verba anual de cerca de 310 mil euros por um período de dez anos destinada a apoiar a sustentabilidade e a operacionalidade dos Bombeiros Voluntários do Concelho de Espinho.
O Presidente da Câmara Municipal de Espinho, Pinto Moreira lamenta que “a Oposição à Câmara na Assembleia Municipal tenha sobreposto o interesse do calendário eleitoral à autarquia criando um caso e uma polémica que só prejudica os Bombeiros da cidade.”
Pinto Moreira afirma que nunca a Câmara nunca foi inflexível em relação à utilização a dar aos quartéis ou à possibilidade destes serem alienados. Uma decisão sobre a alienação desse património só pode ser realizada em sede de Assembleia Municipal.
Pinto Moreira afirma que a situação é tanto mais grave e irresponsável, quando era do conhecimento público que a polémica inútil criada pela oposição sobre o novo quartel dos bombeiros estava a comprometer seriamente a possibilidade de financiamento garantido pelo POSEUR.

Facebook
Twitter
Instagram