Em 1943 nascia no Porto a empresa Produtos Sarcol. O nome desta empresa familiar deve-se ao primeiro produto que fabricou, uma cola com origem no sargaço.

Fundada por Assis de Magalhães, juntamente com o seu pai, a empresa Produtos Sarcol destinava-se à produção importação e distribuição de produtos químicos para uma variada gama de indústrias.
Em 1976, a empresa muda-se para um novo local construído de raiz, em S. Mamede de Infesta, junto à Via Norte e à Estrada da Circunvalação, ocupando uma área de 26 400 m2.
Ao longo da década de 80, a Sarcol participa na fundação de instituições como o Banco BPI, o Colégio Luso- Internacional do Porto e o Museu de Serralves.
Também na década de 80 aposta no armazenamento a granel, investindo já na década de 90 numa linha automática de enchimento e embalamento de mercadorias a granel e na ampliação do parque de reatores.
Já no século XXI, a Sarcol era já uma empresa com o Sistema de Gestão da Qualidade certificado de acordo com as normas ISO 9000, e constrói uma estação de tratamento de águas de resíduos industriais. Em 2002, expande-se para o mercado da Península Ibérica e constitui a Sarcol Espanha.
Em 2008, cria uma joint-venture com a Sapec e inicia a deslocalização das instalações de produção, blending e armazenagem para Ovar.
Com a deslocalização da fábrica, as instalações de S. Mamede de Infesta deram lugar, em 2010, ao Núcleo Empresarial Sarcol, dedicando-se ao aluguer de espaços para armazéns, escritórios, salas de reunião, espaços poli-desportivos, restauração, showrooms, sala de formação, cowork e estacionamento. Atualmente conta com 65 empresas, que empregam 250 pessoas.
Para assinalar os 75 anos da Sarcol, a administradora e filha do fundador, Alexandra de Magalhães, convidou a Presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Luísa Salgueiro, e o presidente da junta da união das freguesias de S. Mamede de Infesta e Senhora da Hora, Leonardo Fernandes, para visitar as instalações do Núcleo Empresarial Sarcol e assistir à inauguração, pelo próprio fundador Assis de Magalhães, do painel alusivo à “História da Sarcol”, patente na ala norte daquelas instalações em S. Mamede de Infesta.
“Há 15 anos assumi a pasta com a obrigação de fazer disto um legado para as gerações vindouras”, disse Alexandra de Magalhães, adiantando que o próximo passo é tornar o Núcleo Empresarial Sarcol um espaço comunitário de interesses comuns, de network, e promotor de negócios entre os vários inquilinos.
Luísa Salgueiro elogiou a dinâmica da Sarcol e a capacidade de “acompanhar a evolução dos tempos” e de “atrair investimento” para o Concelho, distinguindo-se pela sua “marca familiar”.

Facebook
Twitter
Instagram