Parecia um sonho difícil de concretizar, no início. E foi-o: levar o escritor moçambicano Mia Couto à Trofa para ouvir um coro infantil cantar-lhe o poema “O Rei”, da sua autoria, começou por ser missão quase impossível, mas cumpriu-se.

Ainda que o editor Zeferino Coelho não tenha conseguido encaixar a breve visita na preenchida agenda, como revelaria por entre risos, na tarde de sexta-feira, diante de uma lotadíssima Casa da Cultura da Trofa.

Projeto com autores da lusofonia
O autor de “Terra sonâmbula” confessou uma “comoção muito grande” perante a homenagem que lhe prestou o grupo coral Meninos Cantores do Município da Trofa, no âmbito do projeto “Oito canções, oito países”, e mostrou-se rendido à região que lhe recordou a infância – as origens paternas estão ali perto, em Rio Tinto, Gondomar.

Facebook
Twitter
Instagram