A possibilidade de a Câmara do Porto exercer o direito de preferência na compra do antigo Colégio Almeida Garrett, alienado pela Universidade do Porto em hasta pública, foi exposta em reunião de Executivo, esta manhã, por Rui Moreira.

Intervindo no período antes da ordem do dia, o presidente do Município explicou os contornos do processo e a realidade que se apresenta: a exercer o direito de opção na compra, a autarquia teria de pagar um valor muito acima da avaliação do imóvel.
O autarca frisou que U.Porto “em nenhum momento anterior à hasta pública informou a Câmara sobre a intenção de vender” o imóvel, sobre o qual nunca existiu qualquer Pedido de Informação Prévia.

Facebook
Twitter
Instagram