Cerca de 50 trabalhadores do ‘call center’ do Trofa Saúde concentraram-se hoje à porta de instalações do grupo na Trofa, distrito do Porto, em protesto pelo “não reconhecimento” da contratação coletiva, disse à Lusa fonte sindical.

Segundo o responsável do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Hotelaria, Turismo, Restaurantes e Similares do Norte (STIHTRSN), Francisco Figueiredo, o protesto decorreu das 08:00 às 11:00 e deveu-se ao “insucesso das negociações com grupo Trofa Saúde, há mais de um ano, para resolver alguns problemas dos trabalhadores das suas unidades de saúde e do ‘call center’”.
Acusando o grupo de “não aplicar a contratação coletiva aos 90 trabalhadores do ‘call center’ a trabalhar na Trofa”, Francisco Figueiredo explicou que a entidade patronal, “ao não reconhecer o direito à contratação coletiva (CCT)”, pretende converter um “aumento salarial para todos em prémio de produtividade só para alguns”.

Facebook
Twitter
Instagram