A recolha de lixos, a limpeza urbana e a questão do amianto nalguns bairros da cidade foram os principais temas hoje debatidos em reunião do executivo municipal, que decidiu não adjudicar a recolha de resíduos indiferenciados e limpeza pública.

O assunto da Limpeza Publica e Recolha de Resíduos teve origem na proposta do júri do concurso internacional para os mesmos, proposta essa que apontava para a não adjudicação pois o concurso ficou deserto.
A proposta tinha em conta que a recentemente criada Empresa Municipal do Ambiente reúne condições para assegurar a recolha dos resíduos recicláveis e indiferenciados. A autarquia considera justificar-se a prorrogação dos contratos com os atuais operadores (respeitantes a 50% da cidade), os quais terminam a 10 de dezembro próximo, sendo os restantes 50% da responsabilidade da E.M. do Ambiente.

 

Facebook
Twitter
Instagram