Pinto da Costa e Antero Henrique foram absolvidos no âmbito da Operação Fénix, que investiga crimes de exercício ilícito da atividade de segurança privada, avança a SIC Notícias.

Jorge Nuno Pinto da Costa e Antero Henrique foram esta tarde absolvidos do megaprocesso de segurança privada Operação Fénix.
Os arguidos estavam a responder por crimes de associação criminosa, exercício ilícito da atividade de segurança privada, extorsão, coação, ofensa à integridade física qualificada, ofensas à integridade física agravadas pelo resultado morte, tráfico, posse de arma proibida e favorecimento pessoal.
Pinto da Costa e Antero Henrique estavam pronunciados, respetivamente, por sete e seis crimes de exercício ilícito da atividade de segurança privada.
A leitura do acórdão continua esta tarde no Tribunal de Guimarães, sem a presença do presidente e do antigo vice-presidente do FC Porto, pois foram dispensados pelo tribunal. O processo conta com 54 arguidos.
O principal arguido da Operação Fénix é Eduardo Silva, sócio-gerente da SPDE, a empresa de segurança implicada no caso, que está pronunciado por 22 crimes e que, segundo a acusação, seria o líder de um grupo que se dedicava à prática de atividades ilícitas.
Os operacionais da SPDE fariam serviços de segurança pessoal, sem que a empresa dispusesse do alvará necessário para o efeito.

Facebook
Twitter
Instagram