O presidente da Câmara do Porto revelou, esta terça-feira, que a candidatura da confeitaria Cunha ao programa camarário de proteção de lojas históricas está a ser avaliada por uma comissão independente que tem em mãos mais 15 propostas.

“A Câmara criou um mecanismo que protege lojas que cumpram determinados critérios e criou comissão que faz essa avaliação. A confeitaria Cunha [que foi informada pelo senhorio da intenção de não renovar o contrato de arrendamento] apresentou a candidatura na segunda-feira e agora será a comissão independente a fazer a avaliação”, afirmou o independente Rui Moreira.
O autarca falava na reunião camarária em que foi aprovada a proteção de mais dois estabelecimentos (a Farmácia Lemos e o restaurante Regaleira) para juntar a um total de 34 já classificados desde julho de 2016, a partir de uma lista inicial de 83 lojas avaliadas.
Na sessão camarária, o vereador do PS, Manuel Pizarro, defendeu que a proteção dos estabelecimentos não estivesse dependente da candidatura dos mesmos, mas de um levantamento da autarquia.

Facebook
Twitter
Instagram