A Alten, líder mundial em consultoria e engenharia tecnológica, adquiriu a empresa do Porto ITSector. A compra, admite a tecnológica portuense que emprega 600 trabalhadores, pode impulsionar o ritmo de contratações e a expansão de negócios.
Postos de trabalho, incluindo administração, mantêm-se inalterados. O que muda é apenas o local físico da sede: a empresa prepara-se para inaugurar instalações no edifício do Porto Office Park, na Boavista, distinguido como “Melhor Empreendimento de Escritórios do Ano”.
Renato Oliveira, CEO da ITSector, realça, em comunicado no site da empresa, “o vasto conjunto de oportunidades e potenciais sinergias que agora se avizinham, incluindo a expansão de negócios e o crescimento do conhecimento da ITSector no que diz respeito à transformação digital do setor financeiro nos mercados onde a Alten opera”.
Em 2020, a tecnológica contratou mais de uma centena de colaboradores. E, com a venda à Alten, há uma “grande potencialidade em manter o ritmo de contratações e crescimento”. No ano passado, a empresa angariou novos clientes, em Portugal e no estrangeiro, “revelando a sua grande capacidade de resposta face à situação pandémica”, pode ler-se no documento.
Com cerca de 600 trabalhadores e seis centros de desenvolvimento no Porto, Lisboa, Braga, Aveiro, Bragança e Castelo Branco, a ITSector faturou 13 milhões de euros só na primeira metade de 2020, o que representa mais 25% da faturação em relação a igual período do ano anterior.
Mesmo sendo comprada por um gigante francês, a tecnológica garante que “irá manter o seu ADN de empresa inovadora no setor financeiro, dirigindo as suas competências para ajudar bancos e credit unions a implementar as suas transformações no digital”.
A Alten, nova dona da ITSector, desenvolve consultoria na área tecnológica e está cotada na bolsa de Paris. Com um volume de negócios de 2,6 mil milhões de euros em 2019, tem mais de 37 mil funcionários espalhados por 32 países.

Mudança para o Porto Office Park
O ano começa assim cheio de mudanças para a ITSector, que já está de malas feitas para se mudar para o novo Porto Office Park (POP), que no ano passado foi distinguido como “Melhor Empreendimento de Escritórios do Ano, pelos Prémios do Imobiliário”.
O projeto do Porto Office Park nasceu na antiga estação de recolha de autocarros da STCP na Avenida de Sidónio Pais e tem 31.500 metros quadrados de área de construção, divididos por dois edifícios de escritório com nove pisos cada e envolvido numa área verde de 15 mil metros quadrados. Desde junho do anos passado, acolhe a Concentrix, empresa especializada em outsourcing e na prestação de serviços de apoio técnico e de interação com o cliente, que emprega, só no Porto, cerca de 500 pessoas.
Apesar das circunstâncias atuais, a cidade tem sido capaz de manter o dinamismo empresarial, como mostram os resultados de um estudo realizado durante o período mais crítico da pandemia, segundo o qual as empresas internacionais continuam a instalar-se na cidade, mesmo num tempo tão instável quanto este. Facto que se reflete no arrendamento de escritórios, que também não deu mostras de refrear, antes pelo contrário, cresceu 38%.

Facebook
Twitter
Instagram