A ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, apontou hoje a ligação atlântica Lisboa-Porto-Vigo como a prioridade portuguesa para a rede ibérica de alta velocidade e avisou Espanha que o Governo português não aceita uma “solução imposta”.
“A nossa prioridade não é a ligação entre Madrid e Lisboa. Porque de Madrid para Lisboa vamos de avião. Já temos ligação. A nossa prioridade, certamente, é o eixo atlântico, Lisboa, Porto e Vigo”, afirmou a governante, em Vila Nova de Cerveira, no distrito de Viana do Castelo.
Ana Abrunhosa, que falava durante as II Jornadas Amizade, promovidas pela eurocidade Cerveira (Portugal)-Tomiño (Galiza), disse que a prioridade portuguesa ficou “clara” quando o Governo apresentou, na quinta-feira, o Programa Nacional de Investimentos (PNI) 2030.
De acordo com o ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, as metas do programa centra-se, entre outras, na criação de uma nova linha Porto-Vigo (Espanha) com duração de uma hora, bem como a eletrificação da rede até 2030.
“A ligação de alta velocidade será a Norte, por Vilar Formoso, muito provavelmente. O que o Governo português não quer é que a solução seja imposta. Foi isso que transmitimos na cimeira ibérica e, isso é muito importante”, afirmou Ana Abrunhosa.
A ministra da Coesão Territorial, que encerrava o painel intitulado “Europa Sem Fronteiras: o papel da cooperação transfronteiriça na consolidação do projeto europeu”, referiu que o Governo espanhol “quase impôs” como prioridade para a alta velocidade a ligação entre as duas capitais.
“No que toca à alta velocidade, o Governo do Reino de Espanha colocou-nos numa situação que não é fácil quando quase nos impôs a ligação entre Madrid e Lisboa, quando nós não temos como prioridade Madrid-Lisboa”, frisou a ministra.
A afirmação da ministra portuguesa recolheu o apoio do presidente da Junta da Galiza.

Facebook
Twitter
Instagram