Porque nunca foi tão importante celebrar a música, no dia 1 de outubro o Coliseu Porto e a Orquestra Filarmónica Portuguesa organizam o concerto comentado “De Mozart a Beethoven”, com as obras de dois dos maiores compositores de sempre.
Este espetáculo do Dia Mundial da Música inicia-se com o “Concerto para Clarinete”, uma das últimas obras escritas por Mozart. Segue-se a “Sinfonia Eroica”, a terceira e uma das mais celebradas sinfonias de Beethoven, que a dedicou inicialmente a Napoleão Bonaparte, como resultado da sua simpatia pelos ideais humanistas e democráticos da Revolução Francesa. Uma epopeia musical histórica, dedicada aos ideais da liberdade e igualdade.
O espectáculo marca também o regresso a casa do clarinetista portuense Carlos Ferreira, como solista.
O concerto comentado vai celebrar as obras de dois dos maiores compositores de sempre. Desde o “Concerto para Clarinete”, uma das últimas obras escritas por Mozart, à “Sinfonia Eroica”, uma das mais celebradas sinfonias de Beethoven, que a dedicou inicialmente a Napoleão Bonaparte, como resultado da sua simpatia pelos ideais humanistas e democráticos da Revolução Francesa.
Num ambiente informal, o maestro Osvaldo Ferreira falará de várias curiosidades sobre os dois compositores, numa noite em que se ouvirá um dos mais proeminentes clarinetistas portugueses.
Nascido no Porto, em 1993, Carlos Ferreira começou na Banda de Vilela com apenas cinco anos e é actualmente solista na Orchestre National de France. Já ocupou o lugar de Clarinete Principal na Orchestre National de Lille e também na Orquestra Filarmónica de Londres. Dos muitos prémios que já soma, destaca-se o segundo lugar no Concurso Internacional de Música alemão ARD, em 2019.

Facebook
Twitter
Instagram