PINIÃO
Por Gustavo Pires*

O Primeiro-ministro não vai sair bem das eleições do Benfica. E, por paradoxal que possa parecer, mesmo que, como é quase certo, Luís Filipe Vieira (LFV) venha a ganhar. E porquê? Porque se as eleições não tinham grande interesse para a generalidade dos portugueses a partir da entrada do nome do 1º Ministro para a Comissão de Honra de LFV passaram a ter interesse para todos os portugueses, para o País e para a sua imagem no estrangeiro. E porquê? Porque acontece uma dramática mudança de paradigma. O Benfica deixa de estar à boca de cena para passar a estar a justiça portuguesa. E a pergunta passa a ser a que procura saber até que ponto o apoio do Primeiro- Ministro a LFV pode influenciar os processos extra futebol em que o presidente do Benfica está envolvido.  Ao Primeiro-ministro, por muito que goste do Benfica, não lhe fica bem envolver-se na candidatura de um presidente de clube desde logo porque dá origem às mais diversas conjeturas que, de uma maneira ou de outra, o tempo acabará sempre por esclarecer. Suspeito que António Costa vai perceber que quem se mete com o futebol…leva… forte e feio.

*Professor jubilado da Faculdade de Motricidade Humana

Facebook
Twitter
Instagram