O prazo para apresentação de candidaturas à segunda edição do Fundo Municipal de Apoio aos Estabelecimentos e Entidades Reconhecidas ao abrigo do programa Porto de Tradição decorre até 30 de setembro. Há 525 mil euros disponíveis.

Após a aprovação da medida pelo Executivo Municipal, no passado mês de julho, as lojas, estabelecimentos ou entidades que já obtiveram a chancela “Porto de Tradição” têm aqui uma oportunidade para revigorarem os seus negócios, mediante as necessidades mais prementes identificadas.
O Fundo abre o leque de possibilidades: a concessão do apoio financeiro tanto pode servir para garantir a preservação e conservação das características que promoveram a classificação e reconhecimento enquanto lojas e/ou entidades históricas, nomeadamente através do “investimento em obras de restauro, reabilitação do interior e fachada, adaptações obrigatórias ou manutenção de espólio e acervo”; como, por outro lado, porderá ser aplicado à “modernização e sustentabilidade dos negócios”.
Este critério substantivo foi acrescentado ao Regulamento desta edição, após os serviços municipais terem verificado que um número considerável de candidaturas instruídas em 2019 fundamentava a necessidade de investir na atualização das práticas comerciais, quer ao nível da aquisição de equipamentos, software e conceção de conteúdos destinados à criação ou dinamização da presença na Internet, através de espaços virtuais de divulgação da oferta e de comércio eletrónico, quer no tocante à instalação de sistemas de segurança.
Após o correto preenchimento da ficha de candidatura, a mesma deve ser entregue no Gabinete do Munícipe (mediante marcação prévia através da Linha Porto. 220 100 220) ou nas instalações do Departamento Municipal de Turismo e Comércio, na Rua de Antero Quental, n.º 367, nos termos definidos pelo Fundo, que pode ser consultado no Edital publicado online, no sítio da Câmara do Porto.
Desde a instituição do programa “Porto de Tradição”, em 2016, o Município já reconheceu 88 estabelecimentos comerciais, incluindo três entidades (Teatro Sá da Bandeira, Orfeão do Porto e UNICEPE – Cooperativa Livreira de Estudantes do Porto), que têm assim um instrumento acrescido de proteção e incentivo às suas atividades.

Facebook
Twitter
Instagram