< 15 de julho de 1770

Na véspera da celebração do lançamento da primeira pedra do Hospital de Santo António, no Porto, há 250 anos, e de, entretanto, terem sido superados “enormes desafios”, a unidade hospitalar espera agora conseguir ultrapassar com a cidade a covid-19.

Passado um quarto de milénio desde que foi “benzida e lançada a primeira pedra” do projeto do novo Hospital Real Santo António, o provedor da Santa Casa da Misericórdia do Porto, instituição que “ergueu e consolidou” aquela estrutura hospitalar, afirmou que a “missão de serviço público” tem sido, continuadamente, cumprida.
“É com um sentimento de enorme alegria que estamos a assistir à celebração dos 250 anos do lançamento da primeira pedra do hospital, que foi construído para dar resposta à cidade do Porto e que hoje continua a dar essa resposta”, salientou António Tavares.
A 15 de julho de 1770, os terrenos desocupados nos arredores do Largo do Professor Abel Salazar davam lugar à construção do Hospital de Santo António, mas a proposta apresentada pelo arquiteto inglês John Carr não chegou a executar-se na totalidade, tamanha era a sua dimensão, grandiosidade e custo.
Com os primeiros anos de construção a serem marcados pela “turbulência” das invasões francesas, entre a década de 1770 e o início do século XIX, apenas foram executados dois terços do projeto.

Facebook
Twitter
Instagram