Os culpados são os portugueses

OPINIÃO
Por Gustavo Pires*

A acreditar na comunicação social, António Costa quis deixar claro que, se algo correr mal no combate ao Covid-19 a culpa não será sua. É evidente que não. A culpa só pode ser dos portugueses que insistem em ir para o trabalho em autocarros e metropolitano superlotados. E, perante esta realidade que se repete todos os dias, já nem os coelhos acreditam em António Costa pelo que se recusam a sair da cartola. Claro que a culpa é dos portugueses.
António Costa devia pedir emprestada a metáfora de Laurentino Dias proferida no rescaldo da hecatombe que foi a participação portuguesa nos Jogos Olímpicos de Pequim (2008). Perante a ausência das medalhas olímpicas prometidas o então Secretário de Estado do Desporto (Record, 2008-11-23) cunhou uma metáfora que ficou a fazer parte da história das políticas públicas relativas ao desporto nacional. Disse ele: “Não é o governo nem o COP quem corre, salta e joga. São os atletas”.
António Costa devia explicar ao País que não é o governo que se desloca em transportes superlotados, tem de ir trabalhar e contrai o Covid-19. São os portugueses.
Este é o coelho que resta a António Costa tirar da Cartola. Até porque no desporto resultou. Está tudo na mesma ou até pior. O modelo não mudou e os resultados continuam a ser mais do que medíocres perante um sepulcral silêncio do Movimento Desportivo. E as políticas públicas até já entraram numa vergonhosa contratação de atletas estrangeiros através do expediente das naturalizações de aviário. Claro que os culpados são sempre os portugueses que cada vez praticam menos desporto.

*Professor jubilado da Faculdade de Motricidade Humana

Facebook
Twitter
Instagram