O Governo já recebeu 3.600 pedidos de empresas para aderirem ao regime ´lay off´ lançado na semana passada, disse hoje a ministra do Trabalho e da Segurança Social, Ana Mendes Godinho.
A ministra, que falava aos jornalistas no âmbito da apresentação de um sistema rápido de triagem relacionado com a covid-19, no Hospital da Cruz Vermelha em Lisboa, disse que o objetivo do Governo é ajudar a manter as condições para a manutenção dos empregos e minimizar o número de despedimentos.
Questionada sobre a notícia de que a TAP vai avançar com um processo de ´lay-off’ para 90% dos trabalhadores, a ministra disse que não falava em casos concretos, preferindo dizer que o regime de ´lay-off´ é um mecanismo de apoio à manutenção de emprego e criar condições para que as empresas mantenham os postos de trabalho, tendo a linha de crédito aberta pelo Governo recebido já 3.600 pedidos de empresas, até hoje.
Ana Mendes Godinho disse que a atual situação, devido à pandemia do novo coronavírus, exige um esforço do Orçamento do Estado mas também dos trabalhadores e das empresas, e apelou às empresas para que mantenham os trabalhadores.
O mecanismo ‘lay off’ consiste em os salários dos trabalhadores sejam em parte suportados pelo Estado, evitando que as empresas façam despedimentos.
Na segunda-feira, também segundo a ministra, nesse dia, 1.400 empresas tinham pedido para aderir ao novo regime de ´lay off´, que entrou em vigor na semana passada.

Facebook
Twitter
Instagram