O procurador-geral de Angola prometeu esta segunda-feira fazer “todos os possíveis” para repatriar Isabel dos Santos, filha do ex-presidente angolano José Eduardo dos Santos, acusada de desviar milhões de dólares de dinheiro público.
“Utilizaremos todos os meios possíveis e ativaremos mecanismos internacionais para trazer Isabel dos Santos de volta ao país”, disse o procurador-geral Hélder Pitra-Gros a uma rádio pública angolana.
Estas declarações surgem um dia após um grupo de jornalistas de investigação ter revelado mais de 715 mil ficheiros, sob o nome de Luanda Leaks, que detalham esquemas financeiros de Isabel dos Santos e do marido, Sindika Dokolo, que estarão na origem da fortuna da família.
O Consórcio Internacional de Jornalismo de Investigação (ICIJ), que integra vários órgãos de comunicação social, entre os quais os portugueses Expresso e SIC, analisou, ao longo de vários meses, 356 gigabytes de dados relativos aos negócios de Isabel dos Santos entre 1980 e 2018, que ajudam a reconstruir o caminho que levou a filha do ex-presidente angolano a tornar-se a mulher mais rica de África.
Ainda segundo o DN, durante a investigação, foram identificadas mais de 400 empresas (e respetivas subsidiárias) a que Isabel dos Santos esteve ligada nas últimas três décadas, incluindo 155 sociedades portuguesas e 99 angolanas.

Facebook
Twitter
Instagram