A petrolífera brasileira anunciou o início da venda da sua participação nos campos terrestres de Dó-Ré-Mi e Rabo Branco. A Petrobras detém 50% e a portuguesa Galp outros 50%.

A Petrobras iniciou, na passada segunda-feira (2 de dezembro) a etapa de divulgação da oportunidade referente à venda da sua participação nos campos terrestres de Dó-Ré-Mi e Rabo Branco, localizados na Bacia de Sergipe-Alagoas.
Estes campos integram um bloco em que a Petrobras detém uma participação de 50% e os restantes 50% são da Petrogal Brasil, do grupo português, Galp.
De acordo com a companhia, «as principais etapas subsequentes do projeto serão informadas oportunamente ao mercado». As principais informações sobre a oportunidade, bem como os critérios de elegibilidade para a seleção de potenciais participantes, está disponível no site da Petrobras.
Numa nota de imprensa, a empresa informou que «a divulgação está de acordo com as diretrizes para desinvestimentos da Petrobras e com as disposições do procedimento especial de cessão de direitos de exploração, desenvolvimento e produção de petróleo, gás natural e outros hidrocarbonetos fluidos».
A operação está alinhada à otimização do portfólio e à melhoria de alocação do capital da companhia, com o objetivo de maximizar valor para seus acionistas.
A concessão BT-SEAL-13 foi adquirida na 7ª Rodada de Licitações da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) em 2005. O campo de Rabo Branco produz óleo leve desde 2012 – a média diária de produção de petróleo em 2018 atingiu 161 barris por dia (bpd). Com dois dois poços descobridores de gás, o campo de Dó-Ré-Mi ainda está sem produção comercial. Os dois campos contam com cobertura total de sísmica 3D.
A Petrobras detém 50% dessa concessão em parceria com a Petrogal Brasil, que é a operadora e detém os 50% restantes.

Facebook
Twitter
Instagram