A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), ratificou esta manhã, em Paris, a decisão que estipula o dia 5 de maio como o Dia Mundial da Língua Portuguesa.

“É um passo muito importante para os 260 milhões de pessoas que têm o Português com língua oficial e que é hoje a língua mais falada no hemisfério Sul”, adiantou o primeiro-ministro, António Costa à RTP, numa primeira reação à decisão da UNESCO.
Costa destacou ainda que a língua portuguesa vai ter “um forte crescimento”, prevendo-se que, no “final do século, 500 milhões” de pessoas vão falar Português, uma “língua cada vez mais global”. É, por essa razão, uma “prioridade fundamental na nossa política externa”, acrescentou.
Esta é a primeira vez que uma língua não oficial da organização é distinguida com um dia Mundial. A proposta foi apresentada por todos os países lusófonos em outubro e foi apoiada por mais 24 países como Argentina, Chile, Geórgia, Luxemburgo ou Uruguai, o que resultou numa aprovação por unanimidade no conselho da UNESCO a 12 de novembro.
A proposta aprovada afirmava que o português é a língua mais falada e difundida no hemisfério sul e tem no mundo 265 milhões de falantes, tendo sido o idioma da primeira vaga da globalização.
Portugal esteve representado na cerimónia em Paris por uma comitiva que incluiu o primeiro-ministro António Costa, a ministra da Cultura, Graça Fonseca, a secretária de Estado das Comunidades Portuguesas, Berta Nunes e o Embaixador de Portugal na UNESCO, António Sampaio da Nóvoa.
De acordo com o embaixador português na UNESCO, este será um dia celebrado em grande nos corredores da sede da organização com iniciativas musicais e literárias, mas que espera também ter impacto internacional. “Entra nos calendários internacionais, o que significa que ganha projeção do ponto de vista internacional e que pode ter consequências nos mais variados planos”.

Facebook
Twitter
Instagram