O Tribunal de Marco de Canaveses determinou que três guardas prisionais e um ex-recluso, detidos na operação de combate ao tráfico de droga na cadeia de Paços de Ferreira, vão aguardar julgamento em prisão preventiva, disse hoje fonte judicial.

Outros dois guardas que tinham sido detidos na quarta-feira, na operação “Entre-Grade”, que também foram ouvidos no tribunal de Marco de Canaveses, ficaram sujeitos a Termo de Identidade e Residência e impedidos de exercer funções e contactos com o estabelecimento prisional, acrescentou a fonte.
Na terça-feira, a Polícia Judiciária (PJ) deteve nove pessoas, entre as quais cinco guardas prisionais, dois deles com funções de chefia, no âmbito da investigação “Entre-Grade” de combate ao tráfico de estupefacientes na cadeia de Paços de Ferreira.
Além das diligências realizadas no Estabelecimento Prisional de Paços de Ferreira, no âmbito desta operação também foram feitas buscas nas cadeias do Porto, Santa Cruz do Bispo (masculino), Guimarães, Monsanto e Vale dos Judeus.
Os nove detidos correspondem a cinco guardas prisionais, dois deles chefes, um ex-recluso e outras pessoas, nomeadamente familiares envolvidos no esquema.
Esta operação incluiu 52 buscas em estabelecimentos prisionais, domicílios e espaços comerciais.
A operação policial, que ocorreu no âmbito de inquéritos titulados pelo DIAP [Departamento de Investigação e Ação Penal] de Porto Este-Penafiel, deu também cumprimento a seis mandados de detenção.
Em investigação estão crimes de tráfico de droga e corrupção e a investigação teve início em 2017, sendo que as detenções foram efetuadas seis por mandato e três na sequência das buscas.

Facebook
Twitter
Instagram