Um aparelho da companhia aérea angolana sofreu um deslize na pista do Aeroporto Francisco Sá Carneiro.

A transportadora aérea angolana TAAG disse que a situação ocorrida neste sábado de manhã com um avião daquela companhia no aeroporto internacional do Porto, merece uma “investigação de segurança operacional”, remetendo informações mais pormenorizadas após a conclusão de inquérito.
Num comunicado enviado às redações, a TAAG referiu que uma das aeronaves da companhia (tipo B 777 — 300 ER), que operava a rota Luanda/Porto, sofreu “um evento que merece investigação de segurança operacional”.
A companhia angolana precisou que o caso ocorreu “após o desembarque em segurança dos passageiros e da tripulação” no Aeroporto do Porto por volta das 09:00 locais, “sem provocar quaisquer danos a terceiros”.
A TAAG acrescentou que a situação aconteceu “numa altura em que se procedia a manobra de reposicionamento da aeronave”.
“Já foi aberta uma investigação para aferir aeronavegabilidade da aeronave e o que esteve na base da ocorrência”, prosseguiu o comunicado da transportadora aérea angolana, que ainda acrescenta que “tão logo esteja concluída a investigação” a empresa irá difundir informações mais pormenorizadas.
A ANA Aeroportos, entidade que gere os aeroportos nacionais, avançou este sábado a abertura de um inquérito junto da transportadora aérea TAAG, e da sua empresa de assistência, devido ao avião daquela companhia que “saiu de calços” e deslizou até terra.
Na nota informativa, a ANA Aeroportos afirmou que as razões que levaram o avião da TAAG a sair de calços no Aeroporto Francisco Sá Carneiro “terão que ser esclarecidas pelo inquérito que está a ser realizado junto da companhia aérea e da sua empresa de assistência”.
De acordo com a ANA, o incidente não causou problemas nem prejudicou a operação no aeroporto.

Facebook
Twitter
Instagram