O Secretário de Estado da Proteção Civil, Artur Neves, pediu esta quarta-feira a demissão, que foi aceite pelo Ministro da Administração Interna, anunciou o Governo em comunicado.

O secretário de Estado da Proteção Civil apresentou a sua demissão, no dia em que a Polícia Judiciária realizou uma série de buscas no âmbito de investigações relacionadas com a compra das polémicas golas “inflamáveis”. José Artur Neves foi constituído arguido. O Presidente da República já exonerou o secretário de Estado.
“Na sequência do pedido de exoneração, por motivos pessoais, do Secretário de Estado da Proteção Civil, o Ministro da Administração Interna aceitou o pedido e transmitiu essa decisão ao Primeiro-Ministro”, revela o Governo através de um comunicado.
A demissão de José Artur Neves surge no dia em que o Ministério da Administração Interna, a Secretaria de Estado da Proteção Civil, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil e vários comandos distritais de Operações de Socorro foram alvo de buscas por indícios de fraude na obtenção de subsídios, corrupção e participação económica em negócios. Segundo avança a CMTV, Artur Neves terá mesmo sido já constituídio arguido, uma informação ainda não confirmada oficialmente.

Facebook
Twitter
Instagram