Advogado de família descendente de lusodescendentes que morreu em Nantes diz que o caso agora é “negócio do estado”.

O telemóvel do lusodescendente Steve Maia Caniço, que morreu afogado numa queda no rio Loire após uma intervenção policial numa festa, terá continuado a funcionar depois da hora divulgada pela polícia, noticia hoje a imprensa francesa.
Segundo a edição desta quarta-feira do jornal francês “Canard Enchaîné”, o telemóvel de Steve Maia Caniço estava ainda ativo às 04:33, uma hora depois de as autoridades terem dito, no fim de julho, que encontraram atividade no telefone.
Steve Maia Caniço desapareceu na madrugada de 22 de junho após uma intervenção policial numa festa num cais, em Nantes, no âmbito da Festa da Música, uma data celebrada a nível nacional com diferentes eventos em toda a França. Cinco semanas depois, o corpo do jovem de 24 anos foi encontrado no rio Loire. Steve Maia Caniço não sabia nadar e morreu afogado.
Esta nova informação, confirmada por vários meios de comunicação, mostra que o telemóvel do lusodescendente ainda estava ligado quando a polícia interveio no cais onde se passava a festa e, possivelmente, quando Steve Maia Caniço caiu ao rio.
Foi o próprio primeiro-ministro, Édouard Philippe, que anunciou no fim de julho que um relatório da Inspeção Geral da Polícia Nacional, mostrou que “não havia qualquer ligação” entre a morte de Steve Maia Caniço por afogamento e a intervenção policial no lugar onde este se encontrava.

Facebook
Twitter
Instagram