Quatro artistas vão rodear o Mercado do Bolhão com criações de arte urbana que usam como suporte os próprios tapumes circundantes da obra em todo o quarteirão.

O lisboeta The Caver está a iniciar o projeto. O seu trabalho – caracterizado pela utilização de formas simples mas bastante fortes, aliadas a uma harmoniosa composição de cores e um conteúdo algo enigmático – já se descortina no gaveto da Rua de Sá da Bandeira com a Rua Formosa, interpelando quem passa naquela zona.

A reabilitação do mercado de frescos da cidade, adiada durante décadas e agora finalmente em concretização, ultrapassa assim uma das facetas menos agradáveis de uma grande obra quando está em curso: a visual. Com a vantagem acrescida de dar “tela” à criação artística, levando para o centro do Porto e para uma estrutura emblemática da cidade diferentes perspetivas de modernidade.

Para tal, além de The Caver, a obra de construção civil ganhará contornos de obra artística também com as participações do misterioso Hazul, artista portuense que tem vindo a espalhar vários trabalhos pela cidade e pelo estrangeiro; do maiato OKER (Mário Fonseca), também ilustrador, designer gráfico e fotógrafo; e do igualmente portuense GodMess (Tiago Gomes), outro artista multidisciplinar que participou em 2015 no mural coletivo da Rua da Restauração, entre outros trabalhos com que tem contribuído para enriquecer o Mapa de Arte Urbana do Porto.

Facebook
Twitter
Instagram