Os trabalhadores dos registos e notariado também começaram esta segunda-feira uma greve de uma semana. Os trabalhadores consideram que os salários sofrem um corte no novo estatuto remuneratório proposto pelo Governo.

O Sindicato dos Trabalhadores dos Registos e Notariado registou esta segunda-feira, no primeiro dia de greve do setor, uma adesão entre os 85% e os 90%, com a Associação Sindical dos Conservadores dos Registos a referir valores acima dos 90% no continente.
A greve, de uma semanao, foi marcada pelo Sindicato dos Trabalhadores dos Registos e Notariado (STRN) e pela Associação Sindical dos Conservadores dos Registo (ASCR) após a aprovação pelo Governo do decreto-lei que procede à revisão do estatuto remuneratório dos trabalhadores destas carreiras especiais.
Em comunicado, o STRN sublinha que “10% a 15% dos trabalhadores não aderiram à greve para assegurar os serviços mínimos impostos pelo Governo – ilegalmente fixados por um acórdão, que se encontra em recurso no Tribunal da Relação de Lisboa e que obteve já pronúncia favorável do Ministério Público”.

Facebook
Twitter
Instagram