O artista Ricardo Jacinto juntou-se ao Teatro Universitário do Porto (TUP) para criar “Medusa (para Charlotte Posenenske)”, uma versão de um trabalho do músico a partir de obras da artista minimalista alemã, com estreia na sexta-feira, no Porto.

A partir de cópias de “Square Cubes”, trabalho de 1967 de Posenenske (1930-1985), o violoncelista junta-se a peças sonoras sobre a cidade do Porto de quatro intérpretes do TUP, Francisco Aguiar, Gonçalo Albuquerque, Nuno Torres e Orlando Gilberto-Castro, para dar uma dimensão coletiva ao projeto “Medusa”, já apresentado a solo várias vezes em 2019, em Lisboa e em São Miguel, nos Açores.
A nova ‘vida’ da “explosão metafórica do instrumento” num espaço, com música criada e depois espacializada através de um sistema eletroacústico, estreia-se no espaço IRL, em Campanhã, pelas 21:00, com a duração de três horas.

Facebook
Twitter
Instagram