A menos de três meses da inauguração do Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Mota, nos Jardins do Palácio de Cristal, os administradores que compõem o consórcio Círculo Cristal, entidade responsável pela reconversão daquele que é um dos edifícios mais emblemáticos da cidade do Porto, revelaram algumas novidades, numa visita guiada às obras da estrutura.

O objetivo foi dotar o espaço de uma versatilidade capaz de receber qualquer tipo de evento, desde espetáculos culturais, desportivos e de empresas, respeitando, sempre, a sua herança arquitetónica. Com capacidade para 5500 lugares sentados, o pavilhão consegue acolher um total de 8 mil pessoas mediante bancadas retráteis, outra das novas valências, que permitirão personalizar os eventos de acordo com o ceito que for delineado e o número de pessoas previsto. As tribunas ficarão situadas no primeiro e terceiro pisos e haverá 23 camarotes, cada um com capacidade para 16 pessoas, localizados no segundo piso.
Está também previsto um restaurante com vista para o lago e para os Jardins do Palácio de Cristal, que estará aberto todos os dias. No mesmo piso (-1), vai nascer também aquele que foi um dos maiores desafios na reabilitação do Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Mota, o Centro de Congressos, que terá 500 lugares sentados, quatro salas planas e uma zona de exposição.
A grande novidade é a possibilidade de visitas à cúpula do edifício, o que, através de uma visão de 360º, permitirá “ter uma noção exata do que é o Porto”, referiu Jorge Silva, da PEV Entertainment que, em conjunto com a empresa de construção Lucios, compõe o consórcio. Para o responsável, esta visita será “uma experiência radical”, “totalmente segura” que irá provar “toda a multifuncionalidade” do pavilhão.
O investimento inicial previsto variava entre os 8 e os 8,5 milhões de euros, um valor que será ultrapassado “devido às melhorias que foram introduzidas ao longo do projeto”, explicou Filipe Azevedo, da construtora Lucios.

Facebook
Twitter
Instagram