Ex-presidente dos TUB e ex-vice-presidente da Câmara de Braga foi corrompido, em mais de 50 mil euros, de acordo com o Tribunal, mas foi absolvido porque o processo prescreveu.

O advogado de defesa do ex-administrador dos TUB (Transportes Urbanos de Braga), Vítor Sousa vai recorrer para o Tribunal da Relação de Guimarães do acórdão do Tribunal de Braga que deu como provado que os dois ex-administradores da empresa municipal, Vítor Sousa e Cândida Serapicos, receberam luvas pela compra de autocarros da marca MAN, mas considerou que os crimes, de corrupção para ato lícito, já tinham prescrito em 2013.

Na quinta-feira, a Procuradoria-Geral Distrital do Porto anunciou, no seu site, que não se conforma com o teor do acórdão e que vai recorrer. Os dois recursos só devem ser entregues após as férias judiciais, no final de setembro.

Facebook
Twitter
Instagram