O Governo português vai começar a abrir balcões da Segurança Social nos consulados até ao final do ano, para apoiar os pedidos de emigrantes, anunciou no parlamento o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

A abertura de balcões de atendimento da Segurança Social nos principais países de emigração de portugueses tem como objetivo “facilitar” pedidos destes emigrantes, e vão “funcionar junto de embaixadas e consulados”, disse Vieira da Silva.
O ministro, numa audição regimental na Comissão de Trabalho e Segurança Social, não adiantou o número de postos que quer abrir, mas disse que a intenção é que essa abertura decorra “até ao final do ano”.
França, Suíça, Reino Unido e Alemanha são alguns dos países com mais emigração e que podem ser candidatos às primeiras aberturas de postos da Segurança Social.
Nesta quarta-feira, na comissão, o ministro, questionado sobre o atraso nas pensões de portugueses com parte da carreira contributiva no estrangeiro, Vieira da Silva defendeu a necessidade de ser dado um “passo em frente” para abrir esses serviços da Segurança Social nos países onde Portugal tem mais emigrantes.
Segundo o governante, a “presença de técnicos da Segurança Social nesses países irá facilitar estrategicamente” a atribuição de pensões até ao final deste ano.

Facebook
Twitter
Instagram