O cabeça de lista do PSD às europeias, Paulo Rangel, remeteu hoje para a justiça os desenvolvimentos da investigação sobre Álvaro Amaro, acrescentando que a sua condição de arguido não interfere com o acesso ao mandato de eurodeputado.

“Sobre estes assuntos eu comunico sempre da mesma maneira: as questões que têm a ver com a justiça, é a justiça que tem de as resolver, elas não devem interferir com a política e com o seu normal devir”, afirmou Paulo Rangel, em declarações à Lusa e Antena 1, no âmbito de uma entrevista que será divulgada na íntegra na sexta-feira.
Em San Sebastián (Espanha), onde se realizaram as jornadas parlamentares do grupo Partido Popular Europeu (PPE), o líder da delegação social-democrata em Bruxelas manifestou o desejo de que tudo “se esclareça o mais rapidamente possível” e considerou que, por enquanto, as informações já divulgadas a propósito da operação “Rota Final” da Polícia Judiciária “são escassas e nada claras”.

Facebook
Twitter
Instagram