Chama-se Simplex e decorre a 15 e 16 de junho, no Teatro Campo Alegre. O espetáculo de ópera, produzido pelo Quarteto Contratempos, surge a partir de um projeto de ilustração que será animado e mapeado em cena, retratando, assim, uma ópera cómica, multimédia e interativa.

O produtor, Carlos Pinto, explica que “o Simplex conta a história da repórter Geneviève que vai até Vila Velha do Pinheiro para conversar com o Presidente da Junta de Freguesia acerca dos métodos tecnológicos avançadíssimos que o autarca tinha implementa – o Simplex. Tudo isto se deve à vinda de B Jobs, um americano que se rendeu aos encantos da serra e é adviser do Presidente. Esta é a história que vai ser contada através de uma ópera, que junta o digital, interatividade, comédia, ilustração, luz, som e muito mais, num só espetáculo”.

Teresa Nunes (soprano), Miguel Leitão (tenor), Crispim Luz (clarinetista), Susana Lima (violoncelista) e Sérgio de A. (pianista) são os intérpretes deste espetáculo da responsabilidade da startup da UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto.

Facebook
Twitter
Instagram