Sporting faz a festa da Taça nos penáltis. A 75ª edição da Taça de Portugal terminou com o triunfo dos leões, numa final memorável em que jogou com 10 jogadores quase desde o início do jogo.

O Estádio Nacional, no Jamor, vestiu-se de verde e branco para os festejos da conquista da 79.ª final da Taça de Portugal. Depois de no ano passado ter perdido por 2-1 frente ao Desportivo das Aves, o Sporting conseguiu levar de vencida o FC Porto e conquistar a 17.ª Taça de Portugal da sua história.
Foi com uma reviravolta que a equipa de Marcel Keizer conquistou o segundo troféu da temporada, depois de em janeiro terem conquistado, em Braga, a Taça da Liga precisamente frente ao FC Porto. Soares abriu o marcador para os vice-campeões nacionais, aos minutos, mas Bruno Fernandes empatou logo de seguida.
Depois de uma segunda parte sem golos, foi já no prolongamento que o Sporting completou a reviravolta no marcador. Bas Dost fez esquecer o que aconteceu na final do ano passado da prova rainha do futebol português e colocou um sorriso em todos os sportinguistas. Felipe empatou nos descontos da segunda parte do prolongamento, mas nas grandes penalidades os leões foram superiores e venceram por 5-4.
Mas recordemos então esta tarde de bom futebol que se jogou no Estádio do Jamor, no encontro que encerrou a época futebolística em Portugal.
Nas equipas iniciais, destaque para a titularidade, do lado do Sporting de Raphinha e Wendel, duo que foi suplente no Dragão no jogo da última jornada da I Liga. O extremo brasileiro jogou à frente de Acuña que recuou para o lugar do castigado Borja. Por sua vez, Wendel, que esta semana se envolveu em problemas devido à carta de condução, rendeu Petrovic.

Facebook
Twitter
Instagram