Com um investimento privado de 10 milhões de euros, o Centro Cultural e de Congressos de Vila Nova de Gaia vai incluir um hotel e terá capacidade para 2500 lugares. A construção avança até ao fim deste ano e deve ficar pronta em 2021.

O equipamento será edificado na Rua General Torres, abaixo do edifício da Assembleia Municipal, ou seja, paralelo à Avenida da República. Vai incluir um hotel, tem espaço para 2.500 congressistas e “reverte” para a autarquia, podendo esta “optar por geri-lo” ou por nova concessão, explicou sexta-feira o presidente da Câmara de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, após a assinatura do protocolo com o consórcio Skyline, constituído pela Fortera Properties, a Issta Portugal e a Attic.
O Centro Cultural e de Congressos será um “motor de desenvolvimento” do concelho, razão pela qual a autarquia vai isentar o consórcio de taxas e impostos municipais “num total de 3,5 milhões de euros”, revelou o autarca.
Numa segunda fase, haverá lugar para a construção de habitação, escritórios e comércio, sendo que “todo o complexo” representa um investimento privado de 70 milhões de euros.
“A obra avança rapidamente porque é feita por privados, não está sujeita a concurso público ou a visto do Tribunal de Contas. O projeto tem de ser sustentável e, por isso, a gestão tem de ser hiperprofissional, para não deixar um elefante branco à autarquia”, explicou o autarca, justificando a opção pela parceria com privados.
De acordo com os responsáveis da Fortera Properties, a empresa vai lançar um “concurso de ideias para cinco arquitetos” e, dentro de 30 dias, deve ser “eleito o melhor projeto”, para ficar concluído “dentro de dois anos”.

Facebook
Twitter
Instagram