A execução financeira do programa operacional Mar2020 fixava-se, no final de junho de 2018, em 13%, evidenciando “dificuldades”, que configuram um “risco elevado” de perda de financiamento europeu, alertou hoje o Tribunal de Contas.

“Em 30 de junho de 2018, e sem considerar os anos de 2014 e 2015, os dois anos e meio de plena execução do programa corresponderam a uma taxa de execução financeira de apenas 13%. Evidenciam-se, assim, dificuldades de execução do programa que necessitam de ponderação pela Autoridade de Gestão. O baixo nível de execução deste PO [Programa Operacional] representa um risco elevado de perda de financiamento europeu”, lê-se na auditoria do Tribunal de Contas ao Programa Operacional Mar2020.

Facebook
Twitter
Instagram