O romance de Victor Hugo “Notre-Dame de Paris”, também conhecido como “O Corcunda de Notre-Dame” lidera as vendas nesta terça-feira na plataforma da Amazon França, após o incêndio que devastou parcialmente a catedral de Notre-Dame.

Dois terços do teto da majestosa catedral gótica e sua icônica flecha foram destruídos no incêndio que durou mais de 12 horas, deixando a França em estado de comoção nacional.
Também após os atentados de Paris em 13 de novembro de 2015 os franceses se precipitaram para comprar “Paris é uma festa”, de Ernest Hemingway, expressando com este gesto sua tristeza e solidariedade.
Foi para salvar o monumento, fortemente degradado e a desmoronar-se, que Victor Hugo começou a escrever, em 1831, esta obra, descrevendo a catedral, logo no primeiro capítulo, como “majestoso e sublime edifício”.
“Sem dúvida, a igreja de Notre-Dame de Paris é ainda hoje um majestoso e sublime edifício. Mas por mais bela que seja conservada enquanto envelhece, é difícil não suspirar, e não nos indignarmos perante as degradações, as mutilações sem nome que em simultâneo o tempo e os homens provocaram no venerável monumento, sem respeito por Carlos Magno que colocou a primeira pedra, por Filipe-Augusto que colocou a última”, escreveu.
Nesta obra, considerada o maior romance histórico de Victor Hugo, o escritor narra a história do amor altruísta do deformado sineiro da catedral de Notre-Dame, Quasimodo, pela bailarina cigana Esmeralda. Com um estilo realista, especialmente nas descrições de Paris medieval e do seu submundo, o enredo é melodramático, com muitas reviravoltas irónicas.
Esta história, que se tornou um sucesso instantâneo e fez de Victor Hugo o mais famoso escritor a viver na Europa, ajudou a mobilizar a gigantesca restauração do monumento no século XIX.

Facebook
Twitter
Instagram