O embaixador de Portugal em Caracas, Carlos de Sousa Amaro, considerou que o país está a fazer um grande esforço para ir ao encontro das necessidades dos portugueses radicados na Venezuela.

«Gostava de salientar o esforço que os portugueses em Portugal, que o nosso Governo, os nossos dirigentes, os nossos ministérios, nomeadamente o Ministério dos Negócios Estrangeiro e o Ministério da Saúde, têm feito para apoiar os portugueses aqui na Venezuela. É muito importante que os portugueses quer cá, quer noutras partes do mundo e em Portugal, tenham consciência do que estamos a fazer para ajudar a comunidade», disse Carlos de Sousa Amaro, na capital venezuelana.
No entanto, o embaixador admitiu que o processo de ajuda à comunidade «é complicado, nem sempre tão célere quanto gostaríamos, mas os portugueses na Venezuela não estão abandonados. Nós acompanhamo-los muito de perto e esforçamo-nos para ir ao encontro das necessidades, tanto quanto possível».
O diplomata destacou ainda o compromisso assinado entre Portugal «e as associações que vão colaborar connosco numa rede de apoio médico e social, que está numa segunda fase, e que aproveitamos para lançar oficialmente».
«Nós temos recebido já há uns dois anos medicamentos que têm sido distribuídos pelos consulados e que também agora com o apoio dos médicos irão chegar a mais portugueses, nomeadamente aos mais carenciados, aqueles que mais precisam e que não podem pagar porque os poucos medicamentos que existem são muitíssimos caros e é tudo importado», sublinhou.

Facebook
Twitter
Instagram