O cantor polémico foi exposto ao sexo em tenra idade, e vendo seus irmãos brincar com fãs, não mostrou nenhum interesse em mulheres.

MICHAEL Jackson estava “morrendo de medo” de sexo com mulheres e foi “repelido” e “traumatizado” por incidentes com prostitutas quando adolescente, tem sido alegado.
O cantor superstar, que foi o diminutivo vocalista do The Jackson Five, quando era criança, foi exposto ao sexo ilícito desde a tenra idade, de acordo com relatos.
Apesar de sua mãe Katherine ser uma devota Testemunha de Jeová, o seu implacável pai Joseph reservou a banda pop da família para tocar em clubes de strip decadentes.
Michael, que morreu em 2009, falou sobre ter testemunhado ver os seus irmãos mais velhos a brincar com groupies enquanto compartilhava quartos de hotel com eles.
Mas, para espanto de seus irmãos, o jovem cantor mostrou interesse zero no sexo oposto.
E de acordo com relatos de testemunhas, em pelo menos duas ocasiões separadas, os parentes de Michael contrataram prostitutas em uma tentativa de tirara sua virgindade.
No livro Intocável: A Vida Estranha e Morte Trágica de Michael Jackson, uma “intervenção” ocorreu quando a estrela infantil completou 15 anos e já havia atingido a puberdade.
O adolescente foi trancado numa sala com “duas prostitutas” e foi dito para “dizer adeus à sua virgindade”.
No entanto, Michael pegou uma bíblia de cabeceira e leu “passagens da Bíblia em voz alta para eles”.
As mulheres deixaram a sala “abaladas” enquanto o cantor de 15 anos de idade tinha “lágrimas escorrendo pelo rosto”.
Sua irmã Rebbie teria dito a um amigo que o encontro “traumatizou seu irmão”.
O segundo incidente ocorreu após um show em Nova York e envolveu a prostituta Lillias Harris, de acordo com o biógrafo de Jackson, J. Randy Taraborrelli.
Harris perguntou a uma funcionária da banda se ela queria “passar uma noite com Michael?”
A groupie animada supostamente respondeu: “Claro que sim.”

Facebook
Twitter
Instagram