Sessenta e quatro é o número de espectáculos gratuitos, a cargo de 46 projectos, que vai poder ver entre 22 de Março e 15 de Dezembro, a propósito do programa Cultura em Expansão, que regressa para mais uma edição cheio de novidades. Uma programação maior – passa de 51 sessões para 64 – e uma frequência e ligação ao associativismo superiores, de acordo com o site da autarquia portuense, são algumas das mudanças. O projecto, que conta com um orçamento de 300 mil euros, mais 20 mil que no ano passado, tem como mote Para um modelo de coesão cultural.

Este ano, o programa “estrutura-se numa matriz tripartida”, com pólos no auditório da Junta de Campanhã, na Associação da Pasteleira Torres Vermelhas e no auditório Grupo Musical de Miragaia que, ao longo do ano, vão ver “a sua actividade cultural potenciada com a regularidade e a densidade destas propostas, assumindo o papel de pequenos centros culturais da cidade”, como explicou Rui Moreira, presidente do Câmara do Porto, e Guilherme Blanc, o seu adjunto para a Cultura. Haverá, contudo, programação satélite espalhada por toda a cidade.
A abertura dos três primeiros dias do evento faz-se com os Trabalhadores do Comércio, António Capelo e Camané, no auditório Junta de Campanhã (sexta 22), no auditório Grupo Musical de Miragaia (sábado 23) e na Associação da Pasteleira Torres Vermelhas (domingo 24), respectivamente. Do calendário, que se prolonga até Dezembro com periodicidade quinzenal, vale a pena destacar espectáculos como Uma Recordação Imperfeita, peça inspirada no livro Orlando de Virgina Wolf, agendada para 12 de Abril.

O Gatilho da Felicidade de Ana Borralho e João Galante, marcado para 14 de Junho, é outro espectáculo a considerar. Parte da ideia de que a definição de felicidade é algo que varia de pessoa para pessoa e de questões sobre como podemos ser felizes. Para as responder, um grupo de jovens de Campanhã, com idades compreendidas entre os 18 e os 23 anos, sentam-se à mesa, com uma arma no meio, para jogar roleta russa. Respondem a perguntas sobre os seus amores, preocupações, inquietações e muito mais, partilhando assim as suas histórias, experiências e memórias durante um jogo mortal em busca da felicidade.
Concertos de Manuel João Vieira ou Samuel Úria, dança com Joana Providência ou espectáculos para crianças com Cláudia Gaiolas são outros dos pontos altos da programação, que apresenta ainda eventos de continuidade, como o Espírito do Lugar com o qual a Circolando levará o público a explorar o Quartel de Monte Pedral, agora na posse da Câmara do Porto. O encerramento do Cultura em Expansão será como a abertura, de forma tripartida, mas desta vez com Beatriz Batarda, Manel Cruz e Ivo Canelas.

Facebook
Twitter
Instagram