A Associação de Médicos Luso-Venezuelanos garante que, nos últimos meses, pelo menos 35 portugueses com doença oncológica morreram por falta de medicamentos na Venezuela.

No ano passado, o Governo apoiou a criação de uma rede de médicos para ajudar os portugueses mais carenciados, mas os apoios não chegaram e a rede está praticamente falida.

Militares de Caracas bloqueiam ponte
para impedir entrada de ajuda humanitária
Regime venezuelano teme que operação de auxílio possa servir de pretexto para uma invasão. Ponte que liga a Venezuela à Colômbia foi bloqueada com contentores.
As forças armadas venezuelanas bloquearam, esta quarta-feira, uma ponte rodoviária na fronteira com a Colômbia, perto de Cúcuta, impedido assim a chegada planeada de ajuda humanitária.
O envio de bens essenciais através da Colômbia, Brasil e uma ilha não especificada é uma iniciativa de Juan Guaidó, apoiada pelos Estados Unidos e por Bogotá, que pretende testar a fidelidade dos militares a Nicolás Maduro, escreve o El País. Maduro, ainda no poder em Caracas, rejeita qualquer tipo de ajuda internacional, considerando que qualquer acção humanitária não passará de uma desculpa para uma intervenção externa na Venezuela.
Perto da ponte bloqueada, mas no outro lado da fronteira, as autoridades colombianas estão preparadas para receber 60 toneladas de medicamentos e alimentos que deveriam seguir para a Venezuela. Neste momento, no entanto, a Ponte Internacional de Tienditas encontra-se cortada por uma cisterna e dois contentores de mercadorias colocados pelas forças venezuelanas.

Facebook
Twitter
Instagram