A falta de interesse dos jovens lusodescendentes pelas «coisas da comunidade portuguesa» é motivo de estudo académico por parte do conselheiro das Comunidades Portuguesas no Canadá Daniel Loureiro.

Daniel Loureiro, de 28 anos, luso-canadiano a residir em Montreal, pretende com este inquérito «descobrir porque não há uma maior adesão dos lusodescendentes aos eventos da comunidade».
«O meu objetivo neste estudo, que estará concluído em breve, é de identificar qual é o sentimento que os jovens (lusodescendentes) têm face à comunidade portuguesa e também face a Portugal. Muitas das vezes dizemos que eles não se interessam pelas coisas da comunidade. Mas porque será?» – questionou.
Filho de emigrantes ribatejanos, o mais jovem dos conselheiros das Comunidades Portuguesas, no cargo desde 2015, explicou que o objetivo do estudo «é mesmo encontrar respostas para o problema».
«Temos sempre aquele pressentimento e ideia que existe, de que os jovens não se interessam por várias razões. Mas nunca lhe fizemos essa pergunta. Porque será que têm esse sentimento face à comunidade e qual é o seu sentimento face a Portugal, que pode ser diferente», acrescentou.
O conselheiro das Comunidades Portuguesas sublinhou ainda a importância do estudo no sentido de «poder ajudar a compreender o futuro da comunidade portuguesa».
No entanto, a falta de interesse pode também surgir no «desinteresse da comunidade pelos jovens», e a culpa «é um mistério da vida», alertou.
«Pode existir a falta de interesse por parte de alguns jovens face à comunidade portuguesa, mas sobretudo à imagem que ela projeta. O desinteresse vem perante aquilo que a comunidade deixa parecer. Queremos outras coisas que não sejam só festas e bailaricos», enalteceu.
Daniel Loureiro está convicto de que os jovens da comunidade «são orgulhos das suas raízes e de pertencerem à comunidade portuguesa» independentemente de estarem em Montreal, Toronto ou noutras cidades do mundo.
Os jovens «têm esse orgulho», agora há que «preencher esse orgulho» com atividades para «manterem viva a comunidade» que dentro de 40 ou 50 anos terá que se «rejuvenescer».
Segundo Otava, existem cerca de 480 mil portugueses e lusodescendentes no Canadá.