Se em 2017 o Aeroporto Francisco Sá Carneiro ultrapassou a marca dos 10 milhões de passageiros, no ano que agora terminou os números apurados indicam novo recorde: quase, mas mesmo quase, 12 milhões, mas precisamente 11,939 passageiros.

De um ano para o outro, o salto foi praticamente de dois milhões de pessoas, tornando-se evidente que mais companhias, mais rotas, mais destinos, têm garantido ao Aeroporto do Porto um crescimento sustentado.
Mais ainda quando, segundo os dados da ANA/Vinci, apurados pela PressTUR, indicam que este foi o aeroporto nacional com um crescimento mais significativo, na ordem dos 10,7%, (excluindo o Aeroporto de Beja que teve um aumento superior, embora em termos relativos, já que pela sua pequena dimensão tem num ano menos passageiros do que o Porto num dia).
Também ao nível das aterragens e descolagens, foi no aeroporto que serve a região Norte do país que se registou o aumento mais significativo, com mais de 7,9% em relação a 2017.
No cômputo geral, o Aeroporto Francisco Sá Carneiro o aumento de passageiros correspondeu a um acréscimo de 32,7%, comparativamente ao ano anterior. E, dos dez aeroportos geridos pela ANA/Vinci, o aumento de aviões nas pistas do Francisco de Sá Carneiro equivale, por si só, a 33,5%.
Nos últimos anos, o Aeroporto do Porto conseguiu captar companhias como a Air Fance/KLM ou a Royal Maroc. Desde 2018, a United Airlines opera Porto-Nova Iorque, a Air Canada liga a Invicta a Toronto, e companhias de baixo custo como a Ryanair e a Wizz Air apostaram em novas rotas no continente europeu.
Também a TAP, reverteu a sua estratégia, e retomou voos intercontinentais a partir do Porto.
Em 2017, o Aeroporto do Porto foi ainda eleito o melhor da Europa na categoria de cinco a 15 milhões de passageiros.