O fadista e o pianista já deram vários concertos juntos, mas agora vão aprofundar essa simbiose. No alinhamento estão cerca de duas dezenas de temas do cânone fadista tradicional, do repertório de Camané e inéditos compostos por Mário Laginha.

Camané canta e o mundo abala. Tem uma voz de ternura tectónica, tem o coração cativo na garganta. Sabe sair de
si e entregar-se às vivências de outros dentro de um poema. Respeita e respira a poesia, carrega o peso do mundo em cada palavra. O aprumo e contenção do seu canto tornam-no avassalador. Ouvi-lo ao vivo é sempre uma dádiva. Apresenta agora o novo projecto Aqui está-se sossegado, onde canta o fado acompanhado pelo pianista Mário Laginha. Os dois já
 deram vários concertos juntos, mas agora vão aprofundar essa simbiose. No alinhamento estão cerca de duas dezenas de temas do cânone fadista tradicional, do repertório de Camané e inéditos compostos por Mário Laginha.

Casa da Música, Boavista

 

Facebook
Twitter
Instagram