As 18 missões diplomáticas que Cabo Verde tem na diáspora vão ter um balcão único de atendimento personalizado ao emigrante, anunciou o ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades cabo-verdiano.

Luís Filipe Tavares falava aos jornalistas à margem da cerimónia de inauguração do Balcão Único de Atendimento Personalizado ao Emigrante na cidade da Praia, que funciona no Palácio das Comunidades.
Este balcão disponibiliza os serviços que são normalmente solicitados pelos cabo-verdianos que trabalham e vivem fora de Cabo Verde, propondo-se ser mais rápido do que até agora.
«O serviço é totalmente novo. Prometemos modernizar o atendimento ao emigrante e estamos a fazê-lo», afirmou Luís Filipe Tavares.
A intenção do Governo é concentrar nestes espaços «todos os serviços mais solicitados pelos emigrantes, das finanças à administração pública, negócios estrangeiros, parte das alfândegas, para o desembaraço alfandegário, cartas de condução», disse.
Neste balcão, os emigrantes cabo-verdianos poderão ainda solicitar serviços como o registo criminal e a declaração do emigrante, alguns dos quais foram hoje pedidos e passados pelos primeiros clientes.
Segundo o ministro, este balcão vai funcionar em todas as ilhas de Cabo Verde, nomeadamente na Casa do Cidadão, e na diáspora irá estar presente nas 18 missões diplomáticas, até final do primeiro semestre deste ano.
Segundo Luís Filipe Tavares, a vida dos cerca de 800 mil emigrantes cabo-verdianos ficará assim facilitada.